Relés utilizados em comandos elétricos passo a passo

Neste artigo falaremos sobre reles utilizados em comandos , os reles são elementos de manobras de cargas elétricas , pois o reles permitem a combinações de logica no comando, existem diferentes tipos de reles usados em como elétricos.

Relé Térmico de Sobrecarga

Os Relés de sobrecarga são dispositivos baseados no princípio de dilatação de partes termoelétricas (bi metálico). A operação de um relé está baseada nas diferentes dilatações que os metais apresentam, quando submetidos a uma variação de temperatura.

São usados para proteger equipamentos elétricos, como motores e transformadores, de um possível superaquecimento que podem ser causadas por diversos fatores como sobrecarga mecânica na ponta do eixo, tempo de partida muito alto, rotor bloqueado, falta de fase, desvios excessivos de tensão e freqüência da rede.

Circuito principal ou de potência

É composto por uma carcaça de material isolante, três bimetais de aquecimento, alavanca de desarme, terminais de entrada (1, 3 e 5) e terminais de saída (2, 4 e 6).

Circuito auxiliar ou de comando:

Consiste basicamente dos contatos auxiliares (NA e NF) por onde circula a corrente de comando, botão de regulagem, botão de rearme (reset), botão de seleção (manual e automático) e bimetal de compensação da temperatura (dá condições ao relé de operar na faixa de –20ºC a 50ºC sem modificação da
curva de desarme).

No caso de uma sobrecarga, os bimetais apresentarão uma curvatura maior. Com isto ocorrerá o deslocamento da alavanca de desarme. Este deslocamento é transferido ao circuito auxiliar, provocando, mecanicamente, o
desarme do mesmo. A temperatura ambiente não afeta a atuação do relé, pois o bimetal de compensação sofrerá o mesmo deslocamento, mantendo assim a relação inicialmente definida.

O relé permite que seu ponto de atuação, ou seja, a curvatura das lâminas, e o conseqüente desligamento, possam ser ajustados com auxílio de um dial. Isto possibilita ajustar o valor de corrente que provocará a atuação do relé. Com isso devemos observar algumas características importantes com relação à escolha do relé de sobrecarga como corrente nominal do motor, numero de manobras, características da rede de alimentação que de vem ser dimensionadas corretamente.

Relé de Proteção Falta de Fase (RPW-FF) WEG

O Relé Falta de Fase destina-se a proteção de sistemas trifásicos contra uma possível falta de fases no sistema onde conectadas as três fases do sistema a ser monitorado com amplitude de fase dentro dos limites selecionado o relé comutam os contatos para posição de trabalho. Quando ocorre uma queda de uma fase com relação às outras para um valor abaixo do valor limite do percentual ajustado ocorrerá a desenergização dos contatos de saída.

Possui um ajuste de sensibilidade onde ajusta o percentual de quebra de uma fase em relação à outra geralmente de 70 a 90% podendo vim também com proteção do neutro onde é monitorada a tensão do neutro que deverá este estar conectado ao relé falta de fase quando este valor ultrapassar 20V ,ocorrerá a desenergização do circuito.

Relé de Proteção Seqüência de Fase (RPW-SF) WEG

O Relé Seqüência de Fase destina-se a proteção de sistemas trifásicos contra uma possível inversão de fase. Conectando-se o relé a rede com a seqüência das fases ligada corretamente, o relé de saída comuta os contatos para a posição de trabalho quando ocorre à inversão da seqüência das fases ocorrerá a desenergização dos contatos interrompendo sistema.

Relé Supervisor Trifásico (RST) TRON

Energizando-se as fases L1, L2 e L3 com amplitude das fases dentro dos limites de tensão selecionados na escala com simetria dentro da faixa e com a seqüência de fase correta, o relé comuta o seu contato liberando o possível
comando. Ocorrendo alguma anomalia no sistema que acarreta em falta de fase, assimetria entre fases, seqüência incorreta das fases ou ainda houver sub ou sobre tensão o relé irá desligar o circuito.

Relés de Tempo

São temporizadores para controle de tempos de curta ou longa duração. Utilizados na automação de máquinas e processos industriais, especialmente em sequenciamento, interrupções de comandos e em chaves de partida.
Existem características especificas quanto ao funcionamento, números de contatos, seleções de temporização e aplicações. Quanto ao modo de operação podemos encontras em diversos tipos os mais comuns são os com retardo na energização, pulso na energização, retardo na desenergização, cíclico e o estrela triangulo.

Relé com retardo na Energização (RTW – RE) :Após a energização do relé, inicia-se a contagem do tempo (T) ajustado no dial. Decorrido esse período ocorrerá a comutação dos contatos de saída os quais permanecem nesse estado ate que a alimentação seja interrompida.

Relé de Pulso (RTW – PE): Apos a energização do relé, os contatos de saída são comutados instantaneamente e
permanecem acionados durante o período (T) ajustado no dial.

Relé Cíclico (RTW – CI) :Após a energização do relé, os contatos de saída são acionados e desacionados
ciclicamente. Há um dial que determina o tempo (TON) em que os contatos permanecem acionados, enquanto outro dial determina o tempo (TOFF) que em que os contatos permanecem desacionados.

Relé Estrela – Triângulo (RTW – ET): Após a energização do relé os contatos de saída estrela comutam instantaneamente, permanecendo acionados durante o período (T) ajustado no dial. Após o tempo (TM) de 100ms os terminais triângulo serão então selecionados e permanecem nesse estado ate que seja desalimentado.

Relés

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *